Resolvi montar esse post depois de ter lido em um blog X sobre “doenças” que as pessoas pensam que só atacam quem está acima do peso.
Quero também aproveitar para falar que o foco do blog é sempre a saúde, não somente o emagrecimento. Afinal, o que mais importa? Estética ou ver os resultados do seu exame sempre certinhos? Se você respondeu estética, está no lugar errado 🙂

Entendam uma coisa: você pode ser a pessoa mais magra do universo e pode não se preocupar com uma simples consulta com um médico, por achar que não terá nenhum “problema” só por ser “magra de ruim”. Aí você chega lá, faz o seu check-up e descobre que tem o colesterol nas alturas. “Ah, deve estar errado, eu sou magro, meu colesterol não pode ser tão alto assim”. Pois bem, é aí que você se engana.

colesterol Vou trazer uma história real, sem citar nomes. Meu médico me falou que a pessoa X, que atualmente está acima do peso, tem o colesterol ruim (ou LDL) muito alto e que precisa melhorar a sua alimentação, PORÉM, como o colesterol não depende exatamente do peso, nas palavras do meu médico: “ele pode ter um ataque cardíaco mesmo correndo em uma esteira com um brócolis na boca”, por conta da genética dele.
CLARO que você não vai continuar comendo besteira e sendo sedentário porque seu colesterol nunca terá um nível baixo, você não pode piorar a situação, você tem que tentar controlá-la.

Outro exemplo que eu tenho: tem um colega de trabalho que é vegetariano e quando levou o resultado dos exames ao médico, ele passou uma dieta restrita de carnes para diminuir o colesterol: e aí? Ele nunca comeu carne na vida dele, onde está o problema? Nesse caso não era genética e nem falta de exercícios físicos (muito menos obesidade), mas sim a alimentação nada saudável.

Sim, é verdade que carnes vermelhas tem um grande quantidade de gordura saturada, tanto que deve ser consumida com moderação, porém muitos outros alimentos contribuem para o aumento do colesterol, como manteiga, queijos amarelos, gema do ovo, batata frita, creme de leite… Muitos! Depois de estudar toda a sua alimentação, ele descobriu o maior problema que fazia aumentar o colesterol ruim: as frituras.

Agora, uma história pessoal: eu não como carnes vermelhas (vaca e porco) porque meu organismo começou a rejeitá-las há 7 anos e, sinceramente? Não sinto falta nenhuma. O problema é que quando você não come carne, na hora de montar um prato, se não tiver frango ou peixe (nem todos os lugares em que eu almoço oferecem essas opções ou não são bem feitos), você vai acabar substituindo por queijo, massa ou alguma fritura. É um tanto quanto inevitável, então ser vegetariano não é sinônimo de ser magro. Mas um dia, uma pessoa que eu nunca vi na vida, que conheci na faculdade, entrou no meio da minha conversa sobre isso, olhou pra mim e falou “Você é vegetariana? Você tá bem gordinha pra quem não come carne”. Claro que eu quis bater na pessoa, antes de respirar fundo e falar que uma coisa não tinha nada a ver com a outra. Enfim, o que quero dizer é que não adianta você cortar um alimento e substituir por um pior, sua alimentação continuará sendo péssima.

colesterol_coracao

Vale a pena investir nos alimentos ricos em colesterol bom (ou LDL), porque não adianta ter o colesterol ruim baixo e o bom também. Alguns deles são: abacate, azeite de oliva, amendoim, salmão, cebola, soja… Dá para acrescentá-los na alimentação do dia a dia tranquilamente.

Então, é muito importante você sempre se consultar com um médico, fazer exames periodicamente e manter tudo controlado, baseando-se na alimentação, exercícios físicos e seguindo as dicas do próprio médico para manter uma vida saudável. Seu coração agradece!

Fontes: Minha Vida e Tua Saúde.

Categorias: Dicas de Saúde | Post por:

Comentários